domingo, 15 de janeiro de 2017

Subida ao Pé de Cabril

Num dia que se fez sentir muito frio, rumámos ao direcção ao Pé de Cabril. 
Com partida da Junceda, passando pelo Prado e daí até ao nosso destino, realizámos mais uma caminhada entre amigos. Apesar do frio, optámos por almoçar no alto do Pé de Cabril, mas rapidamente fizemos a descida logo em seguida pois as temperaturas eram muito baixas.
Voltámos ao Prado onde fizemos nova paragem para relaxar.
Aqui ficam alguns dos registos do dia.






















segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Brandas de Gorbelas e Poulo da Seida

Partindo do lugar de Rouças, freguesia de Gavieira, lá fomos nós percorrer mais um trilho encantador.
Com destino à branda de Gorbelas e de Poulo da Seida, brandas de apoio à pastorícia na serra da Peneda, cada qual com a sua importância. A branda de Gorbelas é uma branda de cultivo, rodeada por campos de centeio, e a branda da Seida, uma branda de gado (embora actualmente o gado se encontre maioritariamente na branda de Gorbelas). 
A partir de Rouças fomos subindo, vencendo um desnível bastante acentuado, à medida que percorríamos o carreteiro antigamente destinado aos carros de bois que ligavam Rouças à branda de Gorbelas. Alcançada então esta branda, seguimos por um caminho de lajes que, para não variar, tinha um declive bastante forte mas cuja subida é largamente recompensada à chegada a Poulo da Seida. À medida que vamos subindo e admirando a paisagem que vamos deixando para trás, não existe subida que nos impeça de percorrer trilhos tão deslumbrantes ao longo de todo o PNPG.
Foi na velha e abandonada branda de gado de Poulo da Seida, habitada neste dia por apenas duas vacas, que fizemos a nossa paragem para almoço e descanso. Apesar da quase ausência de animais nesta branda, não faltavam cabeças de gado desde o lugar de Rouças até à branda de Gorbelas e entre esta e Poulo da Seida. Diria até que nunca tinha visto tantas vacas juntas em nenhum outro lugar desta serra ou de outra qualquer. 
Finda a paragem para almoço retomámos o percurso novamente até ao lugar de Rouças, onde chegámos completamente extasiados pela paisagem e modos de vida destas brandas da serra da Peneda, que nos transporta para outros tempos.
Deixo alguns dos registos das paisagens com que o nosso Espírito se deliciou.