domingo, 26 de fevereiro de 2017

Amendoeiras em flor - Torre de Moncorvo

Na minha última e recente visita a Torre de Moncorvo, tive oportunidade de apreciar as já floridas amendoeiras que fazem a delícia da terra transmontana nesta altura do ano. 
Apesar de não estarem ainda no seu total esplendor, as paisagens ficam já embelezadas com as amendoeiras em flor que, por sua vez, contemplam o rio Sabor e o rio Douro. Somos obrigados a parar e apreciar o espectáculo de cores, que atrai milhares de turistas aos concelhos transmontanos. 

Por curiosidade, deixo-vos aqui a lenda das amendoeiras em flor, seguida de alguns dos meus registos fotográficos.
Deliciem-se e visitem, se puderem :)

Lenda das amendoeiras em flor
Há muitos séculos, reinava em Chelb, a futura Silves, o rei Ibn-Almundim. Este rei nunca tinha conhecido uma derrota. Um dia, entre os prisioneiros de uma batalha, viu a linda Gilda, uma princesa loira de olhos azuis e porte altivo. Impressionado, o rei mouro deu-lhe a liberdade. Conquistando progressivamente a confiança de Gilda, confessou-lhe o seu amor e pediu-a em casamento. Foram felizes durante algum tempo, até que, um dia, a bela princesa do Norte adoeceu sem razão aparente. 
Um velho cativo das terras do Norte pediu para ser recebido pelo rei e revelou-lhe que a princesa sofria de nostalgia da neve do seu país distante. Então, Ibn-Almundim mandou plantar por todo o seu reino muitas amendoeiras. Na primavera seguinte, o rei levou Gilda à janela do terraço do castelo. Ao ver as flores brancas das amendoeiras, a princesa começou a sentir-se melhor, pois davam-lhe a ilusão da neve. Gilda ficou curada da saudade que sentia.
IN: Lenda das Amendoeiras Em Flor in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-02-26 15:01:18]. Disponível na Internet: 












terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Pela Serra Amarela em dia de chuva

Sábado passado a nossa habitual caminhada realizou-se na Serra Amarela.
Dadas as previsões de chuva, decidimos partir da branda de Bilhares com destino à cabana do Carqueijal, onde teríamos abrigo da chuva e bastante conforto para nos aquecermos e descansarmos, durante a pausa para almoço. 
A chuva atingiu-nos apenas da parte da manhã. Era fraca e passageira. Seja como for, o contacto com a Natureza e o convívio com os amigos é sempre bom e independente das condições climatéricas.
A beleza da Serra Amarela, dos garranos, e dos abrigos antigos que fomos encontrando ao longo do trilho, fizeram as delícias de mais um percurso pelo PNPG. 
Ficam aqui alguns registos do dia. 






















quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Entrudo 2017 em Pitões das Júnias

Divulgo aqui o programa para o Entrudo 2017 na pitoresca aldeia de Pitões das Júnias onde sabe sempre bem regressar.
Desde a mostra de produtos típicos, animações de concertinas e grupos de música tradicional, aos caretos e farrapões, não faltará animação e boa disposição na acolhedora aldeia. 
Apareçam e divirtam-se!




segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Serra do Gerês pintada de branco

Partindo da Casa da Preguiça com destino ao Vale Teixeira, realizámos no sábado passado mais um trilho entre amigos na serra do Gerês.
A serra recebeu-nos pintada de branco, o que a tornou ainda mais bonita nesta altura do ano. 
E porque não há palavras que consigam descrever as sensações ao longo do percurso, aqui ficam algumas das memórias fotográficas.
Espero que se deliciem!
Que o Espírito da Montanha vos invada e proteja.

“Only one mountain can know the core of another mountain.” 
Frida KahloThe Diary of Frida Kahlo: An Intimate Self-Portrait